Dicas Práticas para os Primeiros anos de vida

15 Dicas de Atividades Infantis para todas Ocasiões

Qualquer Atividade que faça parte do nosso cotidiano pode ser revertida em material cognitivo útil, basta que o educador seja capaz de perceber as oportunidades...
"O verdadeiro educador está sempre reciclando sua prática pedagógica..."
15 Dicas de Atividades Infantis para todas Ocasiões

Educar é acima de tudo ensinar uma criança a reconhecer aquilo que não é útil...

Examinando a Questão...

Aprender significa principalmente compreender os muitos aspectos da complexa realidade humana, uma vez que esse universo de relações com objetivos e pessoas está sempre em movimento, se reciclando todos os dias, adaptando-se às novas configurações, se renovando por exigência dos problemas.

Para uma criança que está alheia a tudo isso, sem direito a escolha, não terá alternativas senão aprender a conviver dentro desse drama, por força da tradição e das regras sociais, patológico. Desse modo, desde cedo precisa conhecer, senão o âmago dos problemas, pelo menos as muitas variáveis que lhes dão formas, assim como a composição do combustível que alimenta as carências humanas, e isso inclui toda diversidade de situações cotidianas, por mais irrelevantes que aparentemente sejam numa primeira abordagem.

Assim, conviver com os pequenos dramas do cotidiano, brincar de resolver pequenas tarefas, conhecer o funcionamento das coisas mais simples, tudo isso servirá como importante repertório cognitivo para sua formação psicológica. E é desse acervo que mais tarde irá construir as soluções para os problemas reais que inevitavelmente terá diante de si clamando por soluções.

Por isso o educador precisa ser criativo e ficar atento as oportunidades que irão surgir de momentos comuns do dia a dia, aquelas pequenas questões que poderão ser transformadas em instrução indireta. São os pequenos procedimentos operacionais de cada atividade, das quais, com a devida atenção, sempre podemos tirar algum proveito didático útil.

E lembrando uma vez mais, crianças não têm preferências, e tudo para elas é aprendizado, sejam os exemplos negativos, sejam as edificantes orientações positivas.

A seguir, estão algumas dicas ou reflexões, que poderão ajudar pais e educadores a encontrar uma direção na condução de suas crianças e alunos...

De algumas Regras Nunca devemos nos Esquecer...

  • O desenho é uma atividade espontânea na criança.
  • Desenhar é tão natural como tagarelar, cantar, ou assoviar.
  • A criança desenha simplesmente porque tem vontade de desenhar.
  • O Jardim-de-infância ou Maternal não é um curso primário ou básico em miniatura.
  • Um bom brinquedo deve ser isento de perigos, simples, fácil de limpar, durável.
  • Uma tesoura – sem ponta – é um dos brinquedos que mais agrada a uma criança de 3 ou 4 anos.
  • É necessário saber ser criança para poder brincar com as crianças.
  • O educador deve aproveitar todos os momentos para educar a linguagem e ampliar a experiência e o vocabulário infantil.
  • Todas as oportunidades devem ser utilizadas para a iniciação matemática.
  • O educador deve preferir as atividades criadoras ao invés das dirigidas.
  • Por mais simples que seja uma tarefa, as comparações em relação ao desempenho individual, ou coletivo, deverão ser substituídas por orientações que enfatizem o aperfeiçoamento.
  • Não há problema algum que os meninos brinquem com as bonecas, assim como fazem as meninas.
  • Os modernos pedagogos afirmam: "Se a menina cresce para ser mãe, o rapaz não virá um dia a ser pai?"
  • Os Jogos de Memória são dos mais eficientes para potencializar o processo mental e um dos mais preferidos por todos.
  • Jogos com bolinhas de gude poderão ser jogados em ambientes fechados. Para isso basta substituir as bolinhas de gude por tampinhas de refrigerantes. Veja aqui como fazer essa improvisação.

Finalmente, não se limite ao escopo dessa lista de reflexões, estude seu caso e faça adaptações, afinal de contas, um modelo pedagógico estático só é capaz de formar cidadãos fleumáticos.


Também Recomendamos...