Dicas Práticas para os Primeiros anos de vida

15 Dicas sobre o Desenvolvimento da Linguagem Infantil

Para um saudável desenvolvimento de todo processo da Linguagem Infantil, a presença dos pais é uma cláusula inegociável, fundamental, imprescindível...
"Educador sem vocação, para uma criança, terá o mesmo efeito que teria a água tóxica para uma planta..."
15 Dicas sobre o Desenvolvimento da Linguagem Infantil

A reprodução eventual de música instrumental, especialmente aquelas do repertório clássico, permite a pacificação interior, sensibilização e melhora da capacidade auditiva...

Examinando o Problema...

Sem o dom da expressão o ser humano torna-se limitado, praticamente incapaz de exercer plenamente seu papel social, de realizar seus objetivos existenciais, por mais simples que sejam. Por isso o sentimento de liberdade é tão importante. O sentimento de liberdade começa e termina com a autoexpressão, quando podemos compartilhar nossas experiências pessoais, quando somos capazes de escutar e compreender a experiência alheia.

E sem o dom da expressão, oral, escrita ou através de outros meios, nada disso seria possível. E tudo começa quando aprendemos a falar, ou entender aquilo que os outros falam. Assim, exercitar o dom da audição, desde cedo, é uma condição crítica, especialmente quando todo esse é processo é trabalhado de modo consciente e responsável.

Por isso o educador precisa ser criativo, ficar atento as oportunidades que irão surgir a partir de momentos comuns no dia a dia das crianças, aquelas questões corriqueiras que poderão ser transformadas em instruções, exercícios auditivos indiretos ou diretos. São os pequenos procedimentos operacionais de cada situação, das quais, com a devida atenção e criatividade, sempre podemos tirar algum proveito educativo.

E lembrando uma vez mais, crianças não têm preferências, e tudo para elas é aprendizado, sejam os exemplos negativos, sejam as edificantes orientações positivas.

E lembrando uma vez mais, crianças não têm preferências, e tudo para elas é aprendizado, sejam os exemplos negativos, sejam as edificantes orientações positivas.

A seguir, estão algumas dicas, na verdade reflexões, que poderão ajudar pais e educadores a encontrar uma direção na condução de suas crianças e alunos...

De algumas Regras Nunca devemos nos Esquecer...

  • No Jardim de Infância, Básico ou pré-escola, a linguagem da criança deve ser melhorada para seja capaz de exprimir seu pensamento claro e preciso.
  • A linguagem deve ser desenvolvida de forma direta e todas as oportunidades que, eventualmente, irão surgindo no correr do dia, deverão ser aproveitadas.
  • O meio mais apropriado para desenvolver a linguagem é através dos contos de ensinamentos ou Fábulas, em virtude da tendência inata da criança de ouvir e contar histórias.
  • Quando a criança gosta de uma história e se interessa por algum personagem, vai desejar ouvi-la várias vezes.
  • As crianças devem sentar-se à vontade em forma semicírculo, ao ar livre e em ambiente calmo, condições que facultam uma audição plena, e apenas assim poderão ouvir com interesse a história.
  • Permita que suas crianças ou alunos contem suas próprias histórias. Poderá ser o relato de situações do seu cotidiano, ou crias fantasiosas de sua imaginação, uma vez que o importante é que se sintam motivadas e dispostas a praticar o dom da expressão oral ou escrita, sem censuras ou críticas.
  • Outro meio de desenvolver o vocabulário e aprimorar a pronúncia é a memorização de quadrinhas, pequenos poemas ou frases pitorescas compatíveis com seu nível de compreensão.
  • As quadrinhas aprendidas devem ser rememoradas de vez em quando para não serem esquecidas.
  • Repetir um fonema diversas vezes, faculta a criança a ganhar confiança em sua própria dicção.
  • Não se recrimina uma falha de pronúncia com correções explícitas, mas, antes disso, repetindo a forma correta para que o grupo tente quantas vezes se fizer necessário.
  • Lembre-se que não se ensina tudo em um dia. As lições precisam ser repetidas em outras ocasiões para uma melhor fixação.
  • Afinal de contas, Repetir, para uma criança, é a coisa mais natural do mundo. Deve-se explorar essa habilidade inata testando outras entonações de um mesmo vocábulo, em ocasiões diversas, valorizando a flexibilidade auditiva.
  • Deve-se tratar da sensibilização auditiva, alternando, aqui e ali, a locução das palavras em diferentes graus de intensidade, volume fonético e entonação.
  • Lembre-se, o cérebro infantil ainda não é tão hábil quanto sua audição, por isso exercícios simples são os ideais.
  • Mas a dicção deve ser estimulada desde cedo, mesmo que sejam sons incompreensíveis. A regra é: "Estimula-se o cérebro, depois a audição. Depois virá a fixação e a dicção. Isto é, se o cérebro ainda não é capaz de fixar as informações com clareza, uma boa audição tem um valor apenas relativo e pouco efetivo."

Finalmente, não se limite ao escopo dessa lista de reflexões, estude seu caso e faça adaptações, afinal de contas, um modelo pedagógico estático só é capaz de formar cidadãos fleumáticos.

Também Recomendamos...