Fábulas Edificantes para todas as Idades

As Duas Cabras

Flexibilidade é a chave para as boas relações pessoais...

Fábulas de Esopo - As Duas Cabras

Duas Cabras brincavam alegremente sobre as pedras, na parte mais elevada de um vale montanhoso. Na ocasião se encontravam separadas uma da outra por um abismo em cujo fundo corria um caudaloso rio que descia das montanhas.

O tronco de uma árvore caída era o único e estreito meio de cruzar de um lado ao outro do despenhadeiro, e nem mesmo dois pequenos esquilos eram capazes de atravessar ao mesmo tempo aque caminho improvisado com segurança.

De fato, embora aquele estreito e precário caminho fosse capaz de amedrontar até o mais bravo dos pretendentes à travessia, a regra não parecia se aplicar àquelas duas Cabras.

Ocorre que o orgulho de cada uma delas não permitiria que uma permanecesse diante da outra, sem que isso não representasse uma afronta ou ameaça aos seus domínios, mesmo ocupando lugares distintos, espaços próprios, separados pela profunda garganta.

Então resolveram atravessar ao mesmo tempo o estreito caminho. A intenção de ambas era decidir qual delas deveria permanecer naquele local, já que tratava-se de uma questão de honra, preservar seu espaço sagrado. E no meio da travessia, as duas se encontraram, e logo começaram a se agredir mutuamente com seus poderosos chifres.

Desse modo, firmes na decisão de levar adiante o incondicional desejo pessoal de dominação e supremacia, nenhuma das duas mostrava disposição em ceder caminho à adversária. Assim, pouco tempo depois, acabaram por cair na profunda grota, e assim sucumbiram arrastadas pela forte correnteza do rio.

Moral da História:
O orgulho do ignorante é a vaidade que aflora naturalmente com o advento da burrice...

Leia Também...