Fábulas Edificantes para todas as Idades

O Morcego e a Doninha

Um Sábio nunca transforma uma solução em um novo problema...

Fábulas de Esopo - O Morcego e a Doninha

Um jovem e desajeitado Morcego caiu acidentalmente no ninho de uma Doninha, que com um bote certeiro o capturou.

Atemorizado, o Morcego pediu que esta lhe poupasse a vida, embora a Doninha não quisesse lhe dar ouvidos.

"Você é um Rato," ela disse, "e Eu sou, por natureza, inimiga dos Ratos. Cada Rato que pego, evidentemente, me serve de jantar, essa é a lei..."

"Mas, a senhora veja bem, eu definitivamente, não sou um Rato..." tentou se explicar o infeliz Morcego. "Veja minhas asas. Você já viu um Rato que é capaz de voar? Claro que sou apenas um tipo de pássaro, de uma variedade, podemos afirmar, um tanto quanto exótica. Por favor me deixe ir embora..."

A Doninha, olhando melhor para sua vítima, concordou que ele não era um Rato e o deixou ir embora. Mas, alguns dias depois, o mesmo atrapalhado Morcego, cegamente, voltou a cair, dessa vez no ninho de outra Doninha.

Ocorre que essa Doninha era inimiga declarada de todos os pássaros, e logo que o tinha em suas garras, preparou-se para abocanhá-lo.

"Você é um pássaro," ela Disse, "por isso mesmo eu o comerei..."

"O que?", exclamou o Morcego, "Eu, um pássaro? Isso é quase um insulto. Todos os pássaros possuem penas! Cadê minhas penas; você é capaz de vê-las? Claro que não sou nada além de um simples Rato. Tenho até um lema que é: Abaixo todos Gatos!"

E assim, o Morcego teve sua vida poupada pela segunda vez.

Moral da História 1:
A flexibilidade é a maior virtude dos Sábios...

Moral da História 2:
Para o mal agradecido, o injusto sempre vai parecer justo...

Leia Também...