Dicas para Autorreciclagem

10 Atividades de Excepcional valor Cognitivo para os momentos ociosos

Criativo pode ser considerado tudo aquilo que nos proporciona algum aprendizado verdadeiramente útil, e o mais importante, sem efeitos colaterais...
"A Compreensão ocorre quando descobrimos que uma falha representa a primeira evidência de um acerto em andamento..."
10 Atividades de Excepcional valor Cognitivo para os momentos ociosos

A maioria dos homens estão convencidos de que a perfeição é um simples produto capaz de ser fabricado a partir de suas habilidades pessoais...

Examinando a verdadeira natureza da ociosidade...

Em busca de recheio para sua ociosidade o homem criou uma atividade recreativa que chamou de passatempo. Trata-se de um processo onde, por ter se tornado um incômodo, de repente, seu tempo livre, parece não ter nenhuma utilidade para si, logo, de alguma forma, precisa ser gasto.

É claro que o dia de uma criança ou jovem, pelo menos quando o assunto é o preenchimento de sua pauta diária com os compromissos obrigatórios, não se compara ao de um adulto.

As obrigações formais de uma criança são mínimas, enquanto que, no caso do adulto, com exceção dos indolentes por vocação, são máximas.

Por isso, via de regra, para as crianças, a despeito das obrigações escolares e suas respectivas tarefas, sempre há mais tempo livre. Uma ociosidade que não precisaria ser ocupada na íntegra com os passatempos – o que constitui um grande desperdício –, especialmente aqueles sem nenhum valor prático ou traço capaz de agregar algo útil à sua cognição.

Gastar o tempo com atividades sem nenhuma utilidade é acima de tudo uma evidência de imaturidade ou burrice. No entanto, isso reflete a pedagogia psicossocial aplicada em todas as mesologias cosmopolitas, onde o que conta é exatamente a ausência de um indivíduo questionador. O indivíduo questionador é um perigo para as instituições milenares, uma vez que nunca age motivado apenas por impulsos emocionais ou ondas comocionais.

E nunca nos ensinam que o tempo perdido não se recupera. Mas isso não parece ter importância, uma vez que o principal objetivo da mídia de entretenimento é justamente ocupar o espectador com suas atrações, a maioria delas inúteis. São inúteis quando se avalia o potencial pedagógico de cada atividade lúdica durante o processo de formação intelectual do indivíduo. E de fato, com o aporte de um sofisticado mecanismo de marketing, a máquina do entretenimento ganha um tremendo poder indutor, e aquilo que é sabidamente inútil ganha status de necessário, sendo facilmente vendido como útil.

Mas, a despeito da falta de critérios dos adultos em fazer bom uso do seu precioso tempo, não precisamos repetir esse regime patético com nossas crianças. Afinal de contas, o que esperamos delas é exatamente que não nos repitam na íntegra. Basta ver o mundo que criamos para elas, e convenhamos, não é um modelo exemplar que mereça ser copiado ou perpetuado.

Elas poderão mudar essa escrita, mas nunca sem o esclarecimento correto. E tudo isso começa quando tiramos de sua lista de atividades diárias aquilo que é inútil, improdutivo; os elementos, ingredientes e comportamentos inimigos da boa cognição, e sempre tomando o cuidado de inserir em seu lugar condutas e práticas proficientes.

E por não ensinarmos às nossas crianças como usar de forma produtiva seu tempo livre, acabamos por criar o adulto que cultua a inutilidade como se fosse uma verdadeira doutrina existencial. Mas, ainda podemos mudar esse roteiro, sem muita complicação, com a introdução de pequenas tarefas lúdicas, que mais se assemelham a atividades recreativas.

Eis uma pequena lista de atividades profícuas e de grande valor cognitivo, que poderão ser acrescentadas à rotina diária de qualquer um praticamente sem custos, de forma natural e sem muita resistência. E acredite, algumas delas poderão se transformar em hábitos produtivos que acabarão por se incorporar ao acervo comportamental das crianças de forma positiva, sem que percebam.

10 Dicas de Atividades simples com extraordinário potencial cognitivo para todas as idades, e o mais importante, sem custos...

  • Criar uma pauta de estudos para ocupar o tempo ocioso das crianças. Por isso é importante descobrir quais os assuntos com os quais mais se identificam. Esse é um hábito que além de melhorar o conhecimento pessoal é disciplinador.
  • Por incrível que pareça, ler quadrinhos pode ser uma excelente forma de criar gosto pela leitura, assim como qualificar o vocabulário e a escrita. O problema é escolher as publicações certas. Prefira aquelas que não enfatizem apenas os temas relacionados com a violência, que ensinem alguma coisa, mesmo que seja aquilo que parece óbvio. Afinal de contas, quando o óbvio serve para reforçar um preceito moral ou prática edificante, isso sempre é bem vindo.
  • Nessa mesma pauta entram os filmes de ensinamentos, edificantes e documentários. E, mais uma vez é preciso ter gabarito para fazer a escolha certa. E como os filmes possuem grande potencial para formar opiniões, criar ou reforçar comportamentos, uma má indicação pode significar um prejuízo psicológico sem volta.
  • Atribuir a tarefa de fazer pequenos reparos, limpeza, e organizar as coisas dentro de casa. Poderão começar com suas gavetas pessoais e armários. Depois com a remoção do pó que se acumula em seus brinquedos ou pertences, sempre cuidando de orientar sobre os corretos procedimentos, de modo a evitar que a poeira venha a causar problemas de saúde. Com isso se tornarão mais responsáveis e organizadas, e logo terão uma maior preocupação com o asseio de qualquer ambiente da casa, ou de outros ambientes que frequentam lá fora.
  • Ajudar os pais em pequenas tarefas domésticas. E sempre cuidando de explicar o motivo de cada procedimento ou ato. Pode ser na elaboração da lista de compras, ou no acompanhamento dos gastos mensais. E que tal perguntar para elas, já que estão de posse dos gastos de vários meses, onde é possível economizar, ou se existem alternativas para o consumo de “certos” itens; e talvez a até repensar a necessidade de outros.
  • Atribuir a elas uma responsabilidade pode ser uma excelente forma de ensinar organização, disciplina e fazê-las sentirem-se importantes. Por exemplo, poderão ficar responsáveis pelo controle e verificação regular do prazo de validade dos alimentos e produtos estocados, inclusive aqueles que estão congelados.
  • E que tal se aprendessem sobre o valor nutricional dos alimentos e sobre as vitaminas, ou ainda o modo correto de preparo e armazenagem. E também os funcionais, aqueles que servem como remédios? Poderão pesquisar sobre tudo isso na própria internet, ou nas páginas de bons livros. Desse modo, de fato irão usar a internet de forma profícua e esclarecedora, um tempo ocioso, agora gasto na aquisição de importantes conhecimentos úteis para o resto de suas vidas.
  • E para distrair, descubra jogos educativos que exercitem a memória e a lógica. Sem esquecer os jogos associativos, aqueles capazes de criar e fortalecer as novas sinapses cerebrais. Lembre-se dos jogos dos erros, e outras atividades lúdicas onde a reflexão ou atenção seja mais importante que o simples reflexo motor.
  • Organizando sua Biblioteca Particular. Se você possui uma coleção de revistas ou livros, que tal fazer um inventário desse acervo e organizar tudo criando um índice onde serão relacionados os títulos disponíveis? Indo mais além, você pode catalogar toda coleção fazendo uma síntese descritiva do conteúdo de cada revista ou livro. No caso das revistas poderá ainda fazer um resumo de cada matéria. Com isso seu acervo, além de se tornar conhecido dos demais membros da família, doravante será uma fonte de consulta mais acessível e permanente. Trata-se de um trabalho coletivo, onde pais e filhos poderão atuar juntos. Imagine o ganho cognitivo dessa atividade.
  • Repita o mesmo processo acima com seu acervo de Fotografias, DVDs, CDs, Quadrinhos, Itens colecionáveis ou até Documentos pessoais. Trata-se de uma grande oportunidade de ensinar de forma indireta o significado de disciplina pessoal e organização. Sem contar que todos sairão ganhando por conhecer com mais profundidade parte da história da família.

Por fim...

Use sua imaginação e decerto vai encontrar outras tarefas que poderão ser usadas como passatempos, e que, entretanto, ao contrário da abordagem tradicional, se reverterá em um tempo gasto de forma inteligente, motivador e realmente produtivo.

No entanto, não seria nenhum excesso ou pecado, uma vez ou outra, depois que estiverem conscientes de todo esse processo, gastar seu tempo como bem entendessem. Mas sempre de olho na utilidade de cada coisa, e o mais importante, de forma comedida e lúcida.


Leia Também...